Posts com a tag Peixe Lapesca

Peixe grelhado com molho agridoce!

Hoje vamos ensinar uma saborosa receita de peixe grelhado ao molho agridoce. Uma combinação perfeita, o peixe que é rico em proteínas, grelhado o que deixa ele mais leve ainda e com um toque de molho agridoce, confira essa receita deliciosa:

Ingredientes

  • 4 postas de Robalo (serve também com pescada amarela e abadejo)receita-peixe-grelhado-molho-agridoce
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto
  • 1 colher (sopa) de mel
  • 2 cravos
  • 1 pitada de cúrcuma
  • 1 ramo de tomilho
  • 1/4 de xícara (chá) de vinagre
  • 1 copo (americano) de suco de abacaxi

Modo de preparo

  • Tempere o peixe com o sal e a pimenta-do-reino. Deixe descansar por 20 minutos.
  • Enquanto isso faça o molho: em uma panela, ponha o mel, o cravo, a cúrcuma e o tomilho.
  • Junte o vinagre e leve ao fogo até formar uma calda.
  • Acrescente o suco de abacaxi e mexa vigorosamente. Coe e reserve.
  • Em um frigideira antiaderente untada, grelhe o peixe. Sirva com o molho aquecido.

Para fazer essa receita adquira o peixe com a melhor qualidade, acesse: http://lapesca.com.br/

Peixe: Não deixe de fora do seu cardápio!

O consumo de peixe vem crescendo no país, mas ainda é pouco levando em conta os benefícios que o peixe oferece para a saúde.

O peixe é uma adição excelente a qualquer dieta saudável. Geralmente o teor de gordura é baixo, fazendoa284a0bfcf728158036adac827375075 dele uma ótima opção de proteína. E mesmo aqueles que contêm um percentual maior de gordura não deixam de ser indicados, pois a gordura é a boa. Isso é importante quando se trata da saúde do seu coração e dos vasos sanguíneos.Ironicamente, em termos nutricionais, peixe gordo é melhor do que peixe magro, por conter mais ácidos graxos ômega 3, muito indicados para a sua saúde.

Comer peixe no lugar de carne vermelha ou de ave geralmente significa menos gordura total, desde que o preparo destas carnes seja o mais light possível – passando longe da fritura, empanados, molhos a base de creme de leite e por aí vai.

Praticidade
Podemos começar por aí. Muita gente não sabe, mas você não precisa comprar peixe fresco para ter os benefícios oferecidos pelos ácidos graxos ômega 3. Os peixes enlatados como o atum, a sardinha e o salmão oferecem os mesmos ácidos ômega 3 que os peixes frescos.

Dicas de preparo
Preparar o peixe sem adicionar muita gordura é simples. O segredo para manter a carne do peixe úmida e saborosa reside em aproveitar os sucos e a gordura natural. A regra número um é preservar a umidade. Em termos práticos, isso significa evitar o fogo direto, especialmente quando preparar peixe magro. Cozinhar no vapor, com vegetais ou um molho que mantenha o peixe úmido, também ajuda a manter a carne macia. Já os métodos de cozinhar em calor seco, tais como assar e grelhar, funcionam bem para os peixes gordos.

Um pouco sobre cada método de preparo

Empanado
A combinação de farinha, ovo e óleo fervendo para fritar não faz desse o melhor do métodos –apesar de ser uma delícia. Para aliviar as notas, opte por assar o peixe no forno, ao invés de fritá-lo em gordura.

Frito
Deve ser evitado ao máximo, porque o peixe absorve muita gordura na hora de fritar. Escorrer em papel toalha achando que vai ficar sequinho é uma ilusão…

Grelhado ou assado
Opção fácil e saudável, mas que depende um pouco da criatividade na hora de temperar (para aquelas pessoas que não gostam muito do gosto natural do peixe). Uma dica maravilhosa é acrescentar azeite extra virgem sobre a carne do peixe quando ele já estiver servido, pois o sabor adocicado do azeite combina perfeitamente com o do peixe. E você está ingerindo o azeite na sua melhor forma: frio, sem ter passado por processo de aquecimento

Ensopado
Excelente alternativa magra, desde que os ingredientes do ensopado sejam mais leves, como legumes, verduras e caldos desengordurados. Ensopados que levam leite de coco, azeite de dendê, creme de leite e outros ingredientes gordurosos acabam tornando o prato bastante calórico. Se for utilizar estes ingredientes, procure buscar as versões menos calóricas: tirando o dendê, os demais podem ser encontrados em versões light, com menos notas.

Embora a grande maioria das pessoas saiba que o consumo de peixe é mais indicado do que o de carne de vaca ou frango, na prática a realidade é outra. Enquanto que a média do consumo de peixe por brasileiros é de 9 quilos por ano, a ingestão de carne de vaca ou frango é de 40 quilos! Não estamos dizendo que é para deixar de lado aquela carne assada ou o franguinho ensopado que só a sua mãe sabe fazer. Até porque, infelizmente, o preço do peixe no Brasil ainda está longe de ser o ideal. Mas se você não tiver problemas financeiros, ou mora na beira da praia e tem um vizinho pescador, ou então consegue viajar em fins de semana para lugares onde o pescado é alimento típico da região, não deixe ele de lado. Ele pode fazer maravilhas por você.

Para adquirir peixe com a melhor qualidade do mercado, acesse: http://lapesca.com.br/

Você sabia que o consumo de peixe para o bebê é uma recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria?

O consumo regular de peixe é uma das indicações mais comuns dos nutricionistas, o que algumas pessoas não sabem é que quanto antes o peixe for introduzido a alimentação, melhor.

A partir dos 6 meses, quando começar a introdução de alimentos sólidos no dia a dia do bebê, o consumoBebe-comendo-papinha-a-base-de-peixe de pescados está liberado. Se você ainda está em dúvida (talvez até mesmo por não gostar muito de peixe), saiba que o consumo desse tipo de carne é uma recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria, pois além de ser rico em proteína, nutriente fundamental para o desenvolvimento da criança, ela contém vitaminas do complexo B e minerais, como zinco, fósforo, ferro e cálcio.

E quanto antes seu filho provar, mais chances de acostumar o paladar e criar o hábito de inclui-lo nas refeições desde cedo. Para os pequenos, é melhor oferecer os sem espinha: cação, linguado, pescada e saint peter, por exemplo.

Receba receitas e promoções exclusivas:

Se for comprar filés já embalados, além da higiene e da consistência da carne, observe o prazo de validade e a refrigeração do local. Lembrando que o jeito mais seguro para descongelá-los é dentro da geladeira, para evitar o crescimento de bactérias e, por consequência, uma intoxicação alimentar. A seguir, duas receitas de papinhas salgadas com peixe para o seu bebê.

Papinha de peixe com abóbora

Ingredientes:

  • 50 g de peixe sem espinha, cortado em cubinhos;
  • 2 colheres (chá) de cebola bem picada;
  • 3 colheres (sopa) de abóbora cabotiá ou cenoura cortada em cubinhos;
  • 3 colheres (sopa) de chuchu ;
  • 2 colheres (sopa) de couve manteiga bem picada;
  • 1 copo (250 ml) de água;
  • 1 colher (chá) de azeite.

Modo de preparo: em uma panela, refogue o peixe em cubos com a cebola. Acrescente os demais ingredientes. Cubra com água e tampe a panela. Deixe cozinhar em fogo médio até os ingredientes ficarem macios e com pouco caldo. Amasse com um garfo, acrescente o azeite e sirva em seguida.

Papinha de peixe com mandioquinha

Ingredientes:

  • 50 g de peixe sem espinha, cortado em cubinhos;
  • 2 colheres (chá) de cebola picada;
  • 3 colheres (sopa) de mandioquinha em cubinhos;
  • 3 colheres (sopa) de abobrinha em cubinhos;
  • 2 colheres (sopa) de espinafre picado.
  • 1 copo 250 ml de água
  • 1 colher (chá) de azeite

Modo de preparo: em uma panela, refogue o peixe com a cebola. Acrescente os demais ingredientes. Cubra com água e tampe a panela. Deixe cozinhar em fogo médio até que os ingredientes fiquem macios e com pouco caldo. Amasse com um garfo, acrescente o azeite e sirva imediatamente.

Fonte: Pesca Amadora

E não se esqueça, compre peixe com procedência garantida e proteja quem você ama , acesse: http://lapesca.com.br/