Posts na categoria Saúde

Salmão selvagem X Salmão de criação: entendendo as diferenças!

Temos visto nos últimos tempos o surgimento de muitos textos comparando o Salmão selvagem com o Salmão de criação, que apontam supostos malefícios à saúde trazidos por essa forma de criação. Porem o que realmente é verdade nisso tudo? Quais as reais diferenças entre eles? Nesse post vamos buscar trazer informações coesas e comprovadas para que você, leitor, chegue à sua própria conclusão.

salmão de criação salmão selvagem

salmão fresco

Aquicultura

Primeiramente gostaríamos de esclarecer que peixe de aquicultura, não é pior e nem inferior ao peixe de pesca predatória.
Produtos oriundos de maus criadouros podem oferecer alguns riscos (se não forem bem manejados), podem ter qualidade nutricional diferente, ocasionados por um processo de criação ruim, assim como pode ocorrer o mesmo com frutas, verduras, bovinos e outras formas de produção de alimento.
Já os produtores sérios possuem muitos controles sobre a questão da qualidade da água e sanidade do pescado, esses produtores seguem padrões nacionais e internacionais de cultivo, para evitar problemas à produção e à saúde dos humanos que irão consumir esse peixe.

Salmão chileno

O salmão não é um peixe cultivado e nem pescado no Brasil, praticamente todo o salmão encontrado nos supermercados e peixarias no Brasil é importado do Chile, mais de 98% do salmão consumido no nosso país. Ele se popularizou muito no Brasil e em outros países por ser nutritivo, sem espinha e de sabor agradável. Além disso, aqui no Brasil houve uma boa aceitação da culinária japonesa no país, o que fez o peixe cair no gosto do brasileiro e inseri-lo em sua dieta.
No Chile, não existe salmão selvagem(nativo), mas são criadas duas espécies: o salmão do Atlântico, ou salar, e o salmão do Pacífico, ou coho. Além da truta arco-íris, da mesma família dos salmões.

Diferenças entre Salmão de criação e Salmão selvagem

O salmão de criação e o salmão selvagem podem ter diferenças sensoriais, nutricionais e de preço. A diferença de preço se dá, pois antigamente o salmão selvagem era abundante e podia ser pescado sem grandes problemas. Entretanto, a intervenção do homem no meio ambiente, como sobre a pesca, o aquecimento global, a poluição e a erosão de seu habitat natural, provocaram uma sensível queda nos estoques de salmão selvagem. Embora ainda existam quantidades sustentáveis de salmão selvagem no Alasca, os estoques de salmão selvagem inglês e irlandês estão ameaçados de extinção. Por isso, a criação de salmão  iniciada na década de 1980, mais conhecida como aquicultura, atualmente em franca expansão na costa da Escócia, na Noruega e, em especial, no Chile, fez com que o salmão de criação passasse a ser o tipo mais comumente encontrado nos supermercados e com um preço mais acessível.

Receba receitas e promoções exclusivas:

Veja na tabela abaixo as diferenças nutricionais entre os dois tipos de salmão:

salmão selvagem e salmão de cultivo

comparação entre salmão selvagem x cativeiro

Para a nutricionista Fabiane Alheira, colaboradora do Conselho Regional de Nutricionistas 4ª Região (CRN-4), é perigoso dizer que o salmão criado em piscicultura faz mal ou não à saúde, pois faltam dados científicos que permitam tal afirmação. De acordo com ela, o fato de os peixes adquirirem coloração rosada pela ingestão de pigmentos sintéticos não é motivo para alarme. O fato de ser sintético não significa que é ruim, assim como nem tudo que é natural é bom — ressalta Fabiane.

Alimentação do Salmão de criação

A ração tem vários ingredientes, entre eles, está um pigmento. É ele que dá cor à carne do salmão. Felipe Manterola, gerente geral da SalmonChile, a associação que reúne 17 indústrias, responsáveis por 85% da produção de Salmão do Chile, explica. “A cor do salmão selvagem é alaranjada porque ele come crustáceos na natureza. No cultivo, a alimentação recebe um pigmento chamado astaxantina. É seguro, não muda nada no produto. É um carotenóide similar ao que existe no tomate, na cenoura e nos camarões”.

Além do pigmento, outra polêmica é que a ração usa muita farinha e óleo de peixes silvestres. Ou seja, a produção de salmão estaria usando recursos naturais em demasia. “Antigamente o principal insumo do alimento era a farinha e óleo de peixe, mas hoje só 15% a 20% vêm de recursos naturais”, diz Felipe Manterola.

Segundo o veterinário Sérgio Carmona, presidente da Comissão Científica do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro (CRMV-RJ), muita da confusão em torno do salmão tem origem num caso de parasitose no peixe vindo do Chile, entre 2004 e 2005. Na ocasião, algumas pessoas que comeram o peixe contaminado cru adoeceram e as importações foram suspensas. Porém, essa situação foi solucionada e sabe-se que a indústria chilena toma todos os cuidados necessários para evitar o surgimento de qualquer outra doença no peixe, uma vez que a sua indústria hoje é focada e sobrevive nessa espécie.

Ou seja, é importante que sejamos críticos quanto à origem, fornecedor, manipulação e conservação do pescado. Devemos conhecer o estabelecimento onde compramos os nossos alimentos, cobrar a seriedade do trabalho do governo e empresas importadoras. O trabalho sendo feito de forma série não ocasionará nenhum problema e nenhum risco ao consumidor, assim como já ocorre com outras cadeias de proteína animal. É importante sempre buscarmos diferentes fontes de informações confiáveis, infelizmente como em todo ramo profissional existem bons e maus profissionais, por isso devemos ficar atentos, e acima de tudo, sermos coerentes em nossas decisões.

Como comprar salmão

Na Lapesca você irá encontrar o Salmão em diferentes cortes, filé porcionado para o seu dia a dia, com pele ou sem pele, filé inteiro para o seu salmão assado de final de semana e salmão defumado fatiado para uma deliciosa salada.

Fontes:
http://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2015/05/entenda-como-funciona-o-cultivo-do-salmao.html
http://portaldopescado.blogspot.com.br/2015/03/sera-mesmo-que-o-salmao-e-uma-farsa.html

Vieiras ao Molho Pesto Cremoso

Elas podem ser gratinadas, salteadas e, em alguns lugares, servidas in natura, regadas somente com limão. Vão muito bem como acompanhamento de saladas, risotos e massas.

E o melhor, podem ser encontradas o ano inteiro. Estamos falando das vieiras, um molusco cheio de classe.

Veja esse receita de Vieiras ao Molho Pesto Cremoso e confira como são saborosas:

Ingredientesvieiras

  • 500 g de Vieiras Lapesca
  • 2 colheres (sopa) de farinha
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 225 ml de creme de leite fresco
  • 1 colher (sopa) de molho pesto
  • 1 colher (sopa) de alcaparras
  • Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo

  1. Tempere as vieiras com sal e pimenta e empane com a farinha.
  2. Derreta a manteiga numa panela e doure as vieiras dos dois lados.
  3. Junte o pesto, a alcaparra e o creme de leite, um de cada vez, misturando entre cada adição. Deixe ferver e sirva em seguida.

Vieiras Lapesca:

Lapesca Gourmet

cada dia melhor

Sardinha Assada na Brasa

Um prato prático, rápido e muito saboroso.

Esse prato é a Sardinha Portuguesa assada na Brasa,você pode fazer para esse fim de semana!

Ingredientes

  • 12 sardinhas portuguesas LapescaApresentação sem título (96)
  • 1 colher (sopa) de sal grosso
  • 1 colher (chá) de pimenta-do-reino moída grosseiramente
  • 1 xícara de azeite de oliva

Modo de preparo

  1. Deixe a churrasqueira pronta, já com brasas. Lave as sardinhas e seque-as com toalha de papel.
  2. Coloque numa tigela e tempere, principalmente a parte dentro, com o sal grosso e a pimenta-do-reino.
  3. Pincele toda a parte externa das sardinhas com a metade do azeite de oliva.
  4. Coloque as sardinhas na grelha da churrasqueira e deixe assar dos dois lados.
  5. Retire as sardinhas da grelha coloque em uma travessa ou em pratos e regue com o azeite restante.
  6. Sirva com pão e molho vinagrete.

Sardinha Portuguesa: http://ow.ly/JjGzj 

Lapesca Gourmet

cada dia melhor

Churrasco de Pintado

Ingredientes:

  • 1 Kg filé de Pintado LapescaApresentação sem título (95)
  • 1 limão
  • 1 alho
  • Sal a gosto
  • Pimenta do reino
  • Polpa de Tomate
  • Azeite de oliva
  • Leite de coco

Modo de Preparo

  1.  Os filés devem ser fatiados em pedaços de mais ou menos 6cm de largura.
  2. Tempere e deixe marinar por 1 hora como caldo de limão, alho-e-sal (pouco sal) e pimenta-do-reino.
  3. Com o fogo em brasa, coloque os filés na grelha e leve ao fogo.
  4.  Após alguns minutos expostos ao calor das brasas, cobrem-se os pedaços de pintado com um molho feito de extrato-de-tomate, azeite e leite de coco.
  5. Vire a grelha algumas vezes, para que o peixe fique bem assado em ambos os lados.
  6. Os filés ficarão assados, crocantes por fora e suculentos por dentro. O tom avermelhado é convite ao paladar.
  7. Nem é preciso dizer, mas sirva quente. Acompanhado de batatas gratinadas reforçará ainda mais o prazer em degustá-lo.

Pintado Lapesca: http://ow.ly/J1wfH 

Lapesca Gourmet

cada dia melhor

Benefícios do peixe para a saúde

Os principais benefícios de comer peixe, além de ser uma alimento de fácil digestão, envolve melhorar a memória, a concentração, prevenir doenças cardiovasculares e aumentar as reações anti-inflamatórias do organismo porque o peixe é rico em ômega 3, que é um componente importante para todos estes processos. Além destes benefícios, o peixe também:

  • É fundamental para a formação da pele, cabelos e unhas, pois é riquíssimo em proteínas, Apresentação sem título (89)aproveitadas quase integralmente pelo organismo;
  • Previne a osteoporose, pois tem boas quantidades de vitamina D e cálcio, que fortalecem os ossos;
  • Combate a anemia, pois é uma boa fonte de ferro e vitamina B12, que são nutrientes importantes para a saúde das células do sangue.

Comer peixe faz bem e, por isso, deve-se consumir peixe pelo menos 2 vezes por semana. A preparação do peixe é também importante para a saúde porque, por exemplo, se for fritar o peixe, ele vai ficar menos saudável porque o peixe frito contém gorduras prejudiciais para o organismo. Desta forma, deve-se dar preferência a peixe grelhado, ensopado ou cozido.

Apresentação sem título (91)

 

 

 

 

 

 

 

Informação Nutricional de alguns tipos de peixes

Calorias Gordura Proteínas
Peixes magros
Bacalhau 73,8 0,20 g 18,00 g
Badejo 96,5 2,75 g 17,94 g
Corvina 100 1,20 g 20,80 g
Dourado 80 0,50 g 18,30 g
Garoupa 87 1,21 g 18,03 g
Linguado 87 0,50 g 19,00 g
Pescada 97 1,30 g 20,00 g
Robalo 72 0,30 g 17,20 g
Cherne 81,4 0,38 g 19,90 g
Truta 89,3 1,67 g 18,49 g
Galo 109 2,70 g 19,90 g
Pargo 97 1,30 g 20,00 g
Peixes gordos
Atum 146 5,20 g 24,8 g
Cavala 138,7 7,10 g 18,7 g
Tainha 173 8,96 g 22,87 g
Salmão 211 13,40 g 22,50 g
Sardinha 124 5,40 g 17,70 g
Bagre 178,2 11,40 g 18,90 g
Cação 129 5,40 g 18,80 g

Lapesca Gourmet

cada dia melhor

 

Tartar de Salmão Defumado

Quer fazer um prato mais sofisticado?

Experimente fazer uma receita de Tartar de Salmão Defumado.

Veja o modo de preparo no vídeo:

Ingredientes:

  • Limão
  • Cream Cheese
  • sal
  • Salmão Defumado
  • Cebolinha
  • Cebola Picada
  • Azeite de Oliva
  • Mostarda Dijon
  • Torrada

Salmão Lapesca: http://ow.ly/IKlV3

Lapesca Gourmet

cada dia melhor

 

Ostra Gratinada

As ostras costumam aparecer em muitos cardápios durante o verão.

O ingrediente combina com pratos leves e refrescantes para o tempo quente! Aproveite essa deliciosa receita de Ostras Gratinadas!

IngredientesApresentação sem título (85)

  • 3 dúzias de ostras Lapesca
  • 1 cebola média picada finamente
  • 2 colheres sopa de manteiga
  • 100 ml de vinho branco seco
  • 1 colher sopa de farinha de trigo
  • 450 g de creme de leite
  • 100 ml da água onde as ostras foram aferventadas
  • Queijo parmesão ralado
  • Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de Preparo

  1. Afervente as ostras até que as cascas abram
  2. Refogue a cebola na manteiga e, quando dourar, junte o vinho, deixando-o evaporar
  3. Acrescente a farinha, o creme de leite e a água, mexendo sempre, até deixar o creme liso
  4. Finalize com o sal e a pimenta
  5. Coloque uma colher deste creme em cada ostra e salpique com queijo parmesão
  6. Leve ao forno para gratinar
  7. Sirva em seguida.

Ostras Lapesca: http://ow.ly/ICxNa 

Lapesca Gourmet

cada dia melhor

 

Salada de Abacate e Camarões

Dica para o verão: Na hora de preparar uma comida, a combinação de abacates e camarões oferecem uma opção saudável e deliciosa.

Veja o modo de preparo no vídeo!

Camarões Lapesca: http://ow.ly/IyMhj 

Lapesca Gourmet

cada dia melhor

Regras para combinar vinho e pratos

O Brasil tem uma enorme costa oceânica, são mais de 8 mil quilômetros que se estendem de norte a sul, em mares de águas quentes e frias, garantindo uma variedade de frutos do mar imensa, em preparações não somente regionais, mas também nas tradições francesa, italiana, japonesa e espanhola.

Dessa forma, combinar peixes e crustáceos com vinhos é um desafio divertido, que pode ser vencido se Apresentação sem título (79)deixarmos de lado as caipirinhas e a cerveja e abraçarmos os belos espumantes, rosés e brancos disponíveis no mercado.

Um dos grandes desafios da harmonização é fazer com que tanto a comida quanto a bebida sejam valorizadas, assim é essencial considerar não apenas o peixe ou crustáceo que será comido, mas principalmente a sua preparação, seu tempero e seu molho, pois muitos frutos do mar têm sabor delicado e sutil e é a preparação que lhes diferencia.

Nas técnicas de harmonização existem algumas poucas regras de ouro, principalmente quando ingredientes de difícil combinação estão em primeiro plano. Um bom exemplo disso são os peixes delicados preparados com alcaparras ou azeitonas; eles pedem um vinho muito específico, o espanhol fortificado Jerez, o vinho ideal para pratos em que o sal se sobrepõe a tudo.

Poucas coisas na vida são mais agradáveis do que sentar-se na beira do mar, sentir a brisa no corpo e saborear um aperitivo. Para essas coisas simples, como camarões fritos, ostras e pequenos peixes empanados, uma boa combinação são os frescos e aromáticos Sauvignon Blancs e os Chardonnays sem madeira.

Outra excelente pedida para acompanhar peixes são os vinhos rosés. 

Uma combinação muito tradicional é a das sardinhas na brasa ou em escabeche que devem ser servidas com um Vinho Verde português, fresco e com boa acidez. A quantidade de mineral presente nesse peixe é de muito difícil combinação com praticamente qualquer outro vinho. A sommeliére carioca Deise Novakoswki, no entanto, sugere uma inovação, um italiano Soave Classico, produzido no norte do país.

 

O salmão, que não é pescado por aqui, se popularizou no Brasil através da culinária japonesa e acabou conquistando paladares, fazendo dele presença constante em muitos cardápios. Quando servido cru, em sashimis, pede a combinação de um espumante Brut, que deverá acompanhar bem todos os pratos da culinária japonesa, inclusive os famosos temakis.

 

Mas, se for cozido, assado ou grelhado, o salmão fará bom par com um rosé de boa estrutura, de Portugal ou até mesmo da Espanha, e com um tinto leve do Novo Mundo, como um Pinot Noir e até um Syrah.

Lapesca Gourmet

cada dia melhor

Camarão na manteiga com vinho

Prove essa deliciosa receita de Camarão na manteiga com vinho.

Rápido, prático e muito saboroso.
Assista o modo de preparo no vídeo.

Ingredientes

  • 3 dentes de alho picados
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 maço de salsinha picado
  • 500 g de camarão sem casca
  • Suco de 1/2 limão
  • 5 colheres (sopa) de vinho branco seco
  • Sal e pimenta a gosto

Camarão Lapesca: http://ow.ly/IcZGJ

Lapesca Gourmet

cada dia melhor